Exu

História do começo do mundo

Exu ajuda Olodumare na criação do mundo.

Bem no princípio, durante a criação do universo, Olodumare reuniu os sábios do Orum, para que o ajudassem no surgimento da vida e no nascimento dos povos sobre a face da terra.

Entretanto, cada um tinha uma ideia diferente para a criação e todos encontravam algum inconveniente nas ideias dos outros, nunca entrando num acordo.

Assim surgiram muitos obstáculos e problemas para  executar a boa obra a que Olodumare se propunha.

Então, quando os sábios e o próprio Olodumare já acreditavam que era impossível realizar tal tarefa, Exu veio em auxílio de Olodumare.

Exu disse a Olodumare que para obter sucesso em tão grandiosa obra era necessário sacrificar 101 pombos como ebó.

Com o sangue dos pombos se purificariam as diversas anormalidades que perturbariam a vontade dos bons espíritos.

Ao ouvi-lo, Olodumare    estremeceu, porque a vida dos pombos está ligada à própria vida.

Mesmo assim, pouco depois sentenciou:

“Assim seja, pelo bem de meus filhos.”

E pela primeira vez se sacrificaram pombos.

Exu foi guiando Olodumare por todos os lugares onde se deveria verter o sangue dos pombos, para que tudo fosse purificado e para que seu desejo de criar o mundo assim fosse cumprido.

Quando Olodumare realizou tudo o que pretendia convocou Exu e lhe disse;

“Muito me ajudaste e eu bendigo teus atos por toda a eternidade”.

“Sempre serás reconhecido, Exu será louvado sempre antes do começo de qualquer empreitada.”

 *    *    *

NARRATIVA

Era uma vez um homem que, por sua maneira de viver e a forma como tratava os amigos, tornou-se antipático a ponto de ser evitado e assim viver isolado. Estava sempre procurando confusões, brigas e discussões. Assim, teve que deixar o povoado onde vivia. Na entrada do povoado, encontrou um comerciante que carregava em uma mão um cachorro e, na outra, uma corrente. Ao vê-lo, o comerciante perguntou como iam as coisas e o homem respondeu que iam como sempre, boa para uns e ruins para outros. O comerciante disse-lhe para ter cuidado porque o rei mandaria matar todos aqueles que não fizessem oferendas. Então, o homem contestou que não iria fazer nenhuma oferenda e, se tivesse que sair de outro povoado, sairia. Depois de andar três léguas, encontrou um exército em guerra. Os amigos do rei o prenderam e o levaram à sua presença, dizendo que aquele homem era um dos cabeças do movimento e que vinha de longe para lutar contra o rei. Este, então, mandou que o homem fosse jogado em uma jaula com os tigres.

*    *     *

  • Exu era filho caçula de Iemanjá e Orunmilá, irmão de Ogum, Xangô e Oxóssi.

*    *      *

Tipo físico dos filhos de EXU.

O filho de Exu ou a quem é a ele dedicado, é robusto, musculoso a atarracado. Tem pouca barba, o rosto é anguloso e grande. Os olhos são vivos, matreiros e irônicos; as mãos são grandes e grossas; os pés, grandes e ágeis. O corpo todo é cheio de energia.

Personalidade dos Filhos de EXU.

O filho de Exu é contraditório; o sim pode ser o não. É sensual, amante apreciado e com grande atração sexual; adora os prazeres da vida, é desordeiro e amoral. Faz de tudo, dependendo de seus interesses; é mentiroso, manhoso, astucioso, mau pagador. Entretanto, é amigo dos seus amigos; é alegre, serviçal, prestativo e afável, quando lhe convém. Gosta de resolver problemas quando sabe que será bem recompensado: embora pareça desligado e despreocupado, está sempre atento; fiscaliza tudo e se intromete onde não deve, é provocador e leva-e-traz.

Profissões preferidas dos filhos de EXU.

O filho de Exu gosta de ser capanga, carregador, militar, motorista, político, gosta também de exercer todos os trabalhos e as funções proibidas por lei.

Deixe um comentário