Ogum

Ogum mata seus súditos e é transformado em orixá.

Ogum, filho de Oduduá, sempre guerreava, trazendo o fruto da vitória para o reino de seu pai.

Amante de liberdade e das aventuras amorosas.

Foi marido de Iansã, Oxum e Obá; as três mulheres de seu maior rival seu irmão xangô.

Ogum seguiu lutando e tomou para si a coroa de Irê, que na época era composto de sete aldeias. Era conhecido como Onirê, o rei de Irê, deixando seu trono para seu próprio filho.

Conta-se que, tendo partido para a guerra, Ogum retornou para a Irê depois de muito tempo

Chegou num dia que se realizava um ritual sagrado.

A cerimonia exigia a guarda total do silencio.

Ninguém podia falar com ninguém.

Ninguém podia dirigir o olhar para ninguém.

Ogum sentia fome e sede, mas ninguém o atendia.

Ninguém o ouvia, ninguém falava com ele.

Ogum pensou que não havia sido reconhecido.

Ogum se sentiu desprezado.

Depois de ter vencido a guerra, sua cidade não o recebia

Ele o rei de irê!

Não reconhecido por sua própria gente!

Humilhado e enfurecido, Ogum, espada em punho, pôs-se a destruir tudo e a todos.

Cortou a cabeça de seus súditos

Ogum lavou-se com sangue.

Ogum estava vingado.

Então a cerimonia religiosa terminou e com ela a imposição de silêncio foi suspensa.

Imediatamente, o filho de ogum, acompanhado de um grupo de súditos ilustres homens salvos da matança, veio a procura de seu pai.

Eles renderam as homenagens devidas ao rei e ao grande guerreiro ogum.

Saciaram sua fome e sede.

Vestiram ogum com roupas novas, cantaram e dançaram para ele.

Mas ogum estava inconsolável.

Havia matado quase todos os habitantes da sua cidade.

Não se deram conta da cerimônia tão importante para todo o reino.

Ogum sentia que já não podia ser rei e estava arrependido de sua intolerância, envergonhado por tamanha precipitação.

Ogum fustigou-se dia e noite em autopunição.

Não tinha medida seu tormento, nem havia possibilidade de autocompaixão e num átimo de segundo a terra se abriu e ele foi tragado pelo solo abaixo.

Ogum estava então no Orum, o céu dos Deuses.

Não era mais humano.

Tornara-se um orixá.

*    *     *

NARRATIVA

Ogum vivia nas florestas, com seu irmão Oxóssi e com Ossain e ao mesmo tempo que caçava também inventava as ferramentas, também foi um profundo conhecedor dos segredos da floresta. Era um destemido caçador; tornou-se guerreiro e ferreiro. Conta uma de suas lendas que Ogum não gostava das civilizações, vivendo eternamente no fundo da floresta. Mas oxum, com sua doçura, conseguiu conquistá-lo, trazendo-o para a cidade no momento em esta precisava de sua proteção.

Ogum teve uma vida amorosa muito agitada.

Foi marido de Iansã, cujo segredo descobriu; em seguida, viveu com Oxum, antes desta se casar com Oxóssi e depois com Xangô; finalmente, viveu com Obá, após vencê-la em uma luta.

Ogum gostava de beber e de comer carne de cachorro, especialmente quando era crua. Seus músculos eram considerado de aço; sua ira era terrível; era conhecido como decepador de cabeças e vingador das injustiças. O orixá é protetor das artes marciais, da agricultura e de todos aqueles que lidam com o ferro. 

Tipo físico dos filhos de OGUM.

O filho de ogum ou a quem é a ele dedicado, apresenta porte atlético, aspecto viril, agressivo e temperamental. Muitas vezes e magro, com cintura fina e coxas musculosas. As mãos são grandes e grossas, com os dedos grossos; tem os pés chatos.

Personalidade dos Filhos de OGUM.

O filho de ogum é dinâmico, audacioso, intrépido, honesto, violento e brigão; adora comer e beber, é trabalhador e eficiente; age sem pensar, usa mais o instinto que a razão. Emotivo, dificilmente perdoa ofensas, mas da mesma forma como se irrita, logo se arrepende. Pode ser mal-humorado, desagradável, antipático, fingido, mentiroso e intransigente; com esse caráter difícil e intratável, tende a ser solitário, permanecendo solteiro ou sendo um mau companheiro. Não acredita nas mulheres.

Profissões preferidas dos filhos de OGUM.

Todas as profissões que lidam com ferro ou com violência: ofícios mecânicos, técnicos, militares; pode ser engenheiro, ferreiro, açougueiro, serralheiro, carpinteiro, torneiro, agricultor.

Deixe um comentário